QUEDA DE CABELO: VOCÊ SOFRE DESSE PROBLEMA?

Para muitos, isso pode até soar como exagero, no entanto quando os fios de cabelo aparecem em grande quantidade nos ralos e ficam presos nas escovas, é sinal de que algo mais sério pode estar acontecendo. É claro que cotidianamente perdemos em média 100 fios, porém se eles estão pelo chão da casa, no travesseiro ou no teclado do computador, isso pode indicar claramente um problema mais grave e que precisa de tratamento imediato.

A queda de cabelo pode ser motivada por problemas nutricionais, metabólicos, genéticos, hormonais e doenças autoimunes. Os fios podem cair quando as glândulas como a tiróide, hipófise ou suprarrenais ficam desreguladas. Ou pode haver um aumento da queda capilar após procedimentos cirúrgicos, dietas restritivas, pós-parto, menopausa ou pelo próprio processo de envelhecimento que também atinge o cabelo.

Fatores externos também são responsáveis pela queda dos fios. O uso de secadores, chapinha, penteados como rastafári, coques apertados ou alongamentos podem interferir na saúde dos cabelos. A química capilar também. A descoloração ou o uso de tintas com muita frequência exigem tratamentos hidratantes constantes para evitar a queda por quebra.

Quem está sofrendo com a queda capilar precisa o quanto antes buscar ajuda, pois dependendo do estágio, o tratamento pode ficar um pouco mais difícil.

Os fios podem cair quando as glândulas como a tiroide e a hipófise ou as suprarrenais ficam desreguladas, mas não só elas, a queda pode ser motivada pelas glândulas dos testículos, fígado e ovários que não estão funcionando de forma adequada.

No ciclo menstrual, é comum as mulheres perderem mais fios, todavia se ela sofrer com Síndrome do Ovário Policístico, uma das alterações trazida pela doença é a queda de cabelos excessiva.

Quem está sofrendo com a queda de cabelos precisa o quanto antes buscar ajuda, pois dependendo do estágio, o tratamento pode ficar um pouco mais difícil.

BOA ALIMENTAÇÃO MANTÉM OS FIOS MAIS SAUDÁVEIS

O cabelo é formado por proteínas como cistina, queratina e melanina. A cistina e a queratina são responsáveis por dar formato e a dureza dos fios, enquanto a melanina dá a cor. Cada uma delas precisa de sais minerais, aminoácidos e vitaminas que estão presentes nos alimentos e se a pessoa tem uma dieta muito rígida pode vir a apresentar o problema de queda de cabelo.

O ferro e as vitaminas que pertencem ao complexo B são fundamentais para quem quer ter uma saúde capilar em dia, porque é por meio do ferro que as demais substâncias entram na célula responsável para a confecção do fio. Em um corpo que sofre com a ausência de ferro, o resultado será sentido nos fios, porque eles não terão os nutrientes que são imprescindíveis para um cabelo forte! Sem contar que a produção de queratina ficará deficitária devido à ausência das vitaminas pertencentes ao complexo B.

Para que o metabolismo do corpo não fique comprometido, a dica é ingerir ovos, leite, carnes vermelhas, castanhas, folhas verde-escuras e peixes ricos em ômega, como o salmão.

PROBLEMAS EMOCIONAIS TAMBÉM RESULTAM NA QUEDA DE CABELO

A inflamação dos fios causada pelo estresse pode resultar na queda de cabelo. Uma das principais doenças relacionadas aos problemas emocionais é a alopécia areata. O resultado dessa situação é o surgimento de pequenas áreas circulares com a ausência dos fios. Infelizmente, essa doença pode acometer todo o couro cabeludo, levando à calvície, tanto em homens como mulheres. A doença pode ser tratada pelo uso de medicamentos tópicos como corticóides em creme ou por injetáveis, e nos casos mais graves, tratamentos com medicamentos orais.

O maior desafio a ser superado é a elevação da autoestima, pois essa enfermidade impacta diretamente o lado emocional do paciente.

Outras doenças podem causar a queda capilar. Nessa situação a avaliação por um dermatologista é obrigatória para que o tratamento adequado seja instituído.